quarta-feira, 24 de maio de 2017

Serei uma má mãe!?

Dou por mim a pensar se serei uma má mãe... 

Nunca cumpri a regra as ordens do médico. Dei tudo antes do tempo, com moderação e calma para ver se havia reações. Começou a beber leite de vaca antes do tempo normal. 

Ainda dorme connosco, e quem é que o faz adormecer na cama dele!? 

Come doces, sim come doces, tudo o que vos passa pela cabeça, dês de simples bolos a chocolates, claro que não os come em exagero.

Quando ouço outras mães, futuras ou aquelas mulheres que ainda nem pensam em filhos a falar de como é ou será com os delas fico parva. Sito me uma extraterrestre, uma mãe fora do normal, uma mãe! Fico a pensar se estarei a errar na educação dele, se lhe estou a prejudicar a saúde mesmo que seja a longo prazo. Penso que se fosse hoje não faria diferente, porque simplesmente fiz o que o coração mandou da forma que achei melhor. Sou mãe e só quero o bem do meu filho (mesmo que seja má mãe aos vossos olhos). 

Bem sou a mãe que aprendi a ser, uma mãe normal (como muitas outras), uma mãe simples, sem medos e receios. Não sou uma mãe só porque sim, só porque os outros querem que assim seja, só para agradar ao mundo! 

Nosso final de tarde de ontem. O cão e o gato!!! 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Afinal o que é Nictofobia?

Parece que faz parte desta fase, entre os 2 e os 4/5 anos as crianças começam a ganhar medos, são vários os medos entre eles está a Nictofobia. Ter medos é saudável, porque a criança está simplesmente a proteger se de estímulos que desconhece ou potencialmente perigosos. É importante não criticar ou brincar com a situação mas sim ajudar a criança a compreender que não  existem motivos para tais medos. 

A Nictofobia ou a escotofobia é a fobia mais frequente entre estas idades, o famoso medo do escuro ou da noite. É normal que todas as crianças passem por esta fase, elas relacionam o escuro /noite a solidão/abandono. Também pode haver medo das sombras que não são 100% visíveis sem luz e a criança associa a outras coisas (os famosos monstros e fantasmas). 

Ontem pela primeira vez o Tomás disse que tinha medo do escuro. Eu expliquei lhe que não fazia mal que ele não tinha de ter medo e que não havia nada de mau na cama da mamã. Já andava desconfiada que ele podesse estar a entrar nesta fase porque tem medo de adormecer no quarto dele e quando acorda de noite é sempre muito sobressaltado e já nem para o nosso quarto vai, ficar a chorar assustado na cama até o ir buscar. 



Vamos lá mais uma fase, muitos litros de paciência e tempo muito tempo para que esta passe e venha outra cheia de força!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Será que valem a pena as marcas brancas!?

Por aqui somos consumidores de marcas brancas, mas há certos produtos que deixam a desejar! 

Tudo o que seja comida optamos pela marca branca: arroz, massa, enlatados, leite, bolachas, sumos e por aí. A não o ser que haja alguma promoção e que os produtos de marca fiquei mais baratos. 

Mas mesmo assim ainda a alguns produtos que não consigo de maneira nenhuma gostar, e mesmo depois de ter experimentado vários de diferentes marcas brancas. 

Os detergentes e os produtos de higiene (tirando a pasta dos dentes) não se comparam aos de marca. 
As vezes a diferença de preço é insignificante, e depois o cheiro que deixam tanto na roupa como quando tomamos banho por exemplo não tem nada haver! 
A marca nestes casos fala mais alto e o que é verdade é que realmente é notório a diferença. 

A pouco tempo o Tomás deixou o gel de banho de bebé, passamos a usar champô de criança e comprei da marca do continente para experimentar e porque os outros eram realmente muito mais caros. O que é certo é que se fosse neste momento a escolha teria sido outra, ele cheira muito bem, mas só na embalagem! Não deixa cheiro algum no cabelo. Fiquei muito desiludida porque adorava o gel de banho de bebé da marca deles. 





domingo, 21 de maio de 2017

Fomos a bisa

Domingo para uns é dia de ronha para outros de Família... Para nós hoje foi dia de visita a bisa. 

E que sorte de ter uns avós que moram no campo, que tem cães e galinhas, couves e morangos. 

Uns bisas que tem bolos, bolinhos e bolachas e também por lá se encontram uns chocolatinhos para o bisneto. 

Quando vamos à bisa não vemos de mãos à abanar. Hoje trouxemos cebolas e agrião, couves e brócolos, morangos e bolachas! 

Ele viu os pintainhos pequenos e os galos grandes, correu a horta toda, foi a oficina do avô e ao atelier da avó. 








O Tomás acabou sentado numa cadeira de madeira a comer os morangos acabados de apanhar. E assim se tem uma criança feliz depois de uma visita aos bisas.


Sábado.

Começamos o fim de semana dá melhor maneira, carro novo!! 

Aproveitamos para passear e fomos até Lisboa conhecer a Bea do Bloga8
Uma Mulher com M grande, uma pessoa incrível, sempre com palavras sábias!

Aqui ficam algumas fotografias do nosso passeio. 



Diz o Tomás que havia
amigas (formigas) na árvore. 


De regresso a casa encontramos
um tuk tuk na ponte 25 de Abril!

Já vos disse que adoro os pés dele!? 



segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sair de casa têm muito que se lhe diga #2

Este foi um dos primeiros post's do blog era o Tomás muito pequenino e demonstrei por meia dúzia de palavras como era difícil sair de casa com ele (podem ler aqui). Hoje passado dois anos e uns meses volto a falar do mesmo. Ele cresceu é verdade mas continua a ser difícil sair com ele.

O despertador toca (é adiado mais 10 minutos na esperança que dê tempo), eu acordou. Levanto me e ligo a televisão para ver se ele desperta. Vou a casa de banho e despacho me, quando volto ainda está ele no vigésimo quinto sono. Visto me entre gritos "Acorda Tomás!" "Está na hora! Temos de despachar!" "Tomás já estamos atrasados!". Quando estou a calçar o último sapato ele começa a despertar. Rebola para a esquerda e para a direita, esfrega um olho depois o outro e por fim os dois. Choraminga e diz que quer dormir. Lá lhe dou a volta enquanto vou buscar a fralda e a roupa. Dispo lhe entre choros e a muito custo consigo mudar lhe a fralda. Pergunto lhe se não quer ir para escola brincar com a Tia Carla ele diz que sim mas não muito convencido. Visto lhe entre os vários alarmes do telemóvel as calças e a blusa, depois as meias e os ténis. Prontos para sair de casa, à correr meto um lanchinho dentro da mala dele e da minha (sim não tomamos o pequeno almoço em casa porque ambos não conseguimos comer assim que acordamos). E lá vamos nós, entre malas consigo pagar na chave e fechar a porta de casa, procuro a chave do carro e guardo a outra, a de casa. Chego às escadas e alguem me pede colo, mãe que é mãe arranja mais um braço para levar o filho. Chegamos ao carro (finalmente!) é hora de pousar tudo no banco da frente e prende lo no banco de trás. E pronto muitas vezes 10 minutos depois do previsto conseguimos sair de casa!!

Eu avisei sair de casa têm muito que se lhe diga!


segunda-feira, 8 de maio de 2017

"Não quero ir a escola!"

Se há um assunto que atormenta todos os pais é quando os mais pequenos não querem ir a escola! Passa nos tudo pela cabeça, o que poderá ter acontecido para eles de um momento para o outro perderem o interesse. O problema é da escola, e só pode ser da escola é o que pensam muitos pais. E logo tentam arranjar algum problema para lhes apontar as culpas. Mas será mesmo isso!?

É importante em primeiro lugar, mesmo antes de pensar coisas menos boas da escola, perceber se aconteceu algo diferente em casa. Houve alguma mudança!? Mudamos rotinas? A atenção que lhes damos é a mesma!? Temos tempo para eles? Ficaram de castigo ou ralhamos? Todos esses pontos tem de ser respondidos por nós e com a maior sinceridade possível. É importante perceber se afinal o erro não será nosso, se o erro não vai de casa.

Se o tempo que temos para eles é pouco e se o pouco que temos ainda aproveitamos para ralhar e chamar a atenção porque a nossa paciência ao fim do dia também é pouca é normal que a criança faça birras ou demonstre comportamentos diferentes na escola (muitas vezes comportamentos agressivos) e afinal a culpa não era da escola mas sim nossa. As crianças são umas verdadeiras esponjas e absorvem tudo o que lhes rodeia, óbvio que quando as coisas não estão bem eles vão perceber e vão demostrar isso da forma que sabem.

Por isso é importante nunca culpar a escola sem primeiro perceber o que aconteceu em casa que possa influênciar o comportamento das crianças. As vezes mínimas mudanças que para nós podem ser uma coisa banal para eles podem ser uma tempestade num copo de água e daí surgirem tantos problemas nos mais pequenos como os comportamentos agressivos e a falta de equilíbrio emocional.


terça-feira, 2 de maio de 2017

Oh céus mais uma fase!

Nos últimos dias a paciência deixou de ser uma virtude dele, se é que algum dia foi.

Eu sei que faz parte (ou céus mais uma fase!) mas não estava a espera que fosse já, assim do nada sem sinais que isto ia acontecer!

O Tomás deixou pura e simplesmente de ter paciência para esperar, e quando digo esperar refiro me a tudo, ou porque quer comer ver o "ta" (tablet), ou o Panda, ou simplesmente quer ir a sanita... A falta de paciência dele é tanta que me põe os nervos a flor da pele. Ele faz trinta por uma linha para chamar a atenção e não para de repetir o que quer até nos lhe darmos. Chega a puxar nos pela cara para olharmos para ele.

É mais uma fase eu sei... E quantas fases mais iremos ter!?

Andei nas pesquisas e vi algumas dicas para controlar está ansiedade... Pois bem percebi que é importante praticar com ele atividades que promovam a paciência, atividades em que tenhamos de esperar para alcançar um objectivo eu vou tentar prometo mas não sei se ele conseguirá relacionar todo isso... Bora lá fazer um bolo com ele ou plantar uma semente e lhe mostrar como tudo tem o seu tempo para crescer assim como ele tem de saber esperar para lhe darmos atenção.


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Primeira vez no Motocross

Por aqui sempre que possível tento fazer coisas diferentes com o Tomás. Não saímos para muito longe porque nem sempre é fácil, mas quando os eventos vem até nos porque não ir lá espreitar!?

Ontem passamos e de relance vimos a publicidade de um tornei de motocross. Comentei logo com o Rúben que devia ser engraçado ir ver, até porque eu nunca tinha visto nenhum torneio apesar de o meu forte não serem motos (quem me conhece sabe bem do que falo) mas estas modalidades desportivas chamam me a atenção.

Lá fomos nós, e o Tomás  lá foi connosco claro! Estivemos lá duas horas e o torneio ainda continuou tarde fora mas para ele duas horas foi o suficiente para vir exausto. Portou se muito bem, delirou com as motas, brincou com jovens e graúdos, brincou com areia e com pedras, ganhou um chapéu e mais algumas porcarias para comer. Fez as delicias de quem nós rodeava e veio de lá vidrado nas motas. "brummbrumm" e não se cala e até gesticula com as mãos como se tivesse a guiar uma.

Oh filho não te metas nessas andaças que o coração da mãe não aguenta!





quinta-feira, 20 de abril de 2017

E agora que finalmente dizes tudo (...)

É amor o que sinto a cada palavra tua, é amor o que sinto a cada frase que dizes, é amor que sinto nesta tua nova fase.
Vivi os teus primeiros meses ansiosa que crescesses para poderemos interagir, brincar e conversar. Esperei dois anos para dizeres as tuas primeiras palavras (já dizias meia dúzia mas muito pouco e só quando te apetecia)... Esperei e desesperei para que tu falasses e agora que finalmente dizes tudo (ou quase tudo) estou a dar em louca, afinal fica difícil digerir tanto amor!

Foram várias as fases que nos marcam, o teu primeiro sorriso que infelizmente eu perdi porque estava num banco das urgências com uma grande amigdalite, os teus primeiros passos a três dias de fazeres 10 meses, a tua primeira papa aos 4 meses, o primeiro dente, mas acho que nada me marcou mais que agora, a tua interacção connosco com as coisas que nos dizes, porque nos surpreendes cada vez que abres a boca!

Esta para mim está a ser sem dúvida a melhor faze de todas poder ter uma conversa contigo é maravilhoso!

E depois as tuas saídas supera todas as palavras banais que não dizes ainda.

"O pai é chato! " quando o pai não lhe faz as vontades
" Mãe bebé gota! " quando passamos no corredor das bolachas
" Mãe muxo não, mãe gute! " (Mãe sumo não, mãe iogurte!)
" ago ta-tau" Quando o Tiago lhe levanta a mau lá na escola ele já se queixa
"Lete, pão com matega" Quando lhe pergunto o que lanchou na escola e ele me diz leite e pão com manteiga
"Vó mãe não compo boilo" Quando a avó chega ao café e ele faz lhe queixinhas que não lhe comprei um bolo

E podia ficar por aqui a escrever muitas mais coisas que tu nos dizes e que nos deixas de coroação cheio. Conseguem agora compreender porque esta está a ser para mim a fase mais bonita de todas!?